terça-feira, 18 de setembro de 2018

MEIO AMBIENTE: PASSOS ESTUDA IMPLANTAR USINA PARA GERAR ENERGIA A PARTIR DO LIXO


O município de Passos, no Sul de Minas, está iniciando estudos visando a possível implantação de uma usina termoquímica, que transforma o lixo em gases que, posteriormente, serão fontes de energia elétrica. 

Com isso, todo o lixo depositado no aterro sanitário e os novos resíduos que forem recolhidos servirão de combustível para a geração energética. 

Como forma de verificar o funcionamento da usina, o prefeito Carlos Renato Lima Reis e o secretário de Obras, Sidnei Ramos, o procurador do município Marcelo Vasconcellos e ex-diretor de Furnas, Sérgio Araújo estiveram em Boa Esperança no último dia 13, para conhecer a primeira Usina Termoquímica de Geração de Energia.

Eles foram recebidos pelo prefeito daquela cidade, Hideraldo Henrique Silva, diretor técnico Luciano Reis Infiesta e diretor executivo William Barbassa, para analisarem as melhores possibilidades de realização do projeto.

Ao todo, são cinco etapas, entre elas a trituração e o armazenamento do combustível derivado dos resíduos, que já é o final da transformação do lixo. Depois disso, o material é submetido a altas temperaturas dentro de uma caldeira. Nesse processo não há fogo nem queima do lixo. 

“Um processo que é realizado em um reator a 850 graus, onde quimicamente será tirada a energia contida em um gás. Esse gás vai entrar numa caldeira, gerar vapor para gerar energia elétrica em uma turbina a vapor", disse o diretor da empresa criadora da tecnologia, Luciano Infiesta.

Segundo ele, "esse é um projeto que usa a tecnologia de gaseificação, que é bastante diferente da incineração. A taxa de poluentes é muito baixa, é uma tecnologia que a gente entende que consegue dar destino para todos os resíduos sólidos de uma maneira geral e através do gás produzido, gerar a energia elétrica. O lixo é um combustível para o nosso processo a partir de agora. Esse processo já foi validado em uma primeira fase em uma planta reduzida de um parceiro e agora vamos partir para uma fase de tentar uma escala maior, com volumes maiores, se aproximando de um modelo real, com toda a dinâmica de coleta e catação de resíduos". 

A primeira Usina Termoquímica de Geração de Energia (UTGE) Boa Esperança tem capacidade de geração de 1 MWh de energia elétrica, o que corresponde a 25% de toda energia elétrica utilizada no município. 

A pretensão é que Passos tenha resultados semelhantes, trazendo um número alto de usuários da energia termoquímica.

O prefeito de Passos falou sobre sua expectativa em relação ao projeto. “Estamos animados e empenhados em trazer este grande projeto para Passos. Caso consigamos implantar a usina termoquímica no município, será um grande avanço para o meio-ambiente e também para os munícipes, que terão uma energia de qualidade produzida em sua cidade”, ressaltou Carlos Renato Lima Reis.

CESTA BÁSICA EM VARGINHA SE MANTÉM ESTÁVEL ENTRE AGOSTO E SETEMBRO


O Grupo Unis e a Associação Comercial, Industrial Agropecuária e Serviços de Varginha (ACIV) realizaram a quinta pesquisa para apontar o valor da cesta básica de Varginha.

O Índice da Cesta Básica de Varginha (ICB-CEPI/UNIS) apresentou estabilidade entre os meses de agosto e setembro com variação de -0,01%. 

A coleta dos preços é realizada na segunda semana de cada mês nos principais supermercados da cidade. A pesquisa abrange os 13 produtos componentes da cesta básica nacional padronizada pelo DIEESE.

“Os resultados demonstram que nesse mês de setembro o valor da cesta básica nacional de alimentos para o sustento de uma pessoa adulta em Varginha é de R$324,85, correspondendo a 37,01% do salário mínimo líquido. Desta forma, o trabalhador que recebe um salário mínimo mensal precisa trabalhar 74 horas e 55 minutos por mês para adquirir essa cesta de alimentos”, explicou o professor Pedro dos Santos Portugal.

Entre agosto e setembro, dos 13 produtos componentes da cesta básica pesquisada, sete apresentaram alta de preços, são eles: feijão carioquinha (6,74%); carne bovina (5,93%); arroz (4,63%); manteiga (3,41%); açúcar (3,07%); óleo de soja (1,44%); leite integral (0,14%).

Essa última pesquisa permitiu verificar que os preços estão sendo mais influenciados pelos comportamentos da oferta e dos custos do que pela dinâmica da demanda. 

Isso é explicado em virtude do país se encontrar em um baixo nível de crescimento econômico e alto índice de desemprego, fatores que contribuem para um consumo ainda enfraquecido. 

“Caso não ocorra nenhum fator mais impactante nos próximos meses, o comportamento dos preços deve continuar se ajustando à realidade da oferta e dos custos do mercado”, ressaltou o Prof. Pedro.

Importante salientar que nesse mês a metodologia do índice teve uma mudança, passando a coleta de preços de alguns produtos a considerar até três marcas ou tipos diferentes para cada produto. Até o mês anterior a coleta considerava apenas a marca ou tipo mais vendido.

“Essa mudança visa aproximar ainda mais a metodologia do ICB – CEPI/UNIS com o que é utilizado pelo DIEESE”, comentou o professor Pedro Santos Portugal.

Para ter acesso à pesquisa, clique aqui.

EQUIPE DA UFLA INICIA PROCESSO BUROCRÁTICO DO CAMPUS EM SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO

Comitiva visitou às instalações do Anexo I, na Lagoinha, espaço que será disponibilizado para que a UFLA inicie suas atividades

Uma equipe técnica-administrativa da Universidade Federal de Lavras (UFLA), composta por superintendente de planejamento, contadores, diretor de convênios, assessor de planejamento e diretor de patrimônio, esteve em São Sebastião do Paraíso no último dia 11, para tratar dos processos burocráticos da implantação do campus no município.

Eles foram recepcionados pelo prefeito Walker Américo Oliveira e pelos secretários municipais Ulisses Araújo, de Desenvolvimento Econômico, e Maria Ermínia Preto de Oliveira Campos, de Educação. 

Em seguida, a comitiva seguiu para uma visita às instalações do Anexo I, na Lagoinha, espaço que será disponibilizado para que a UFLA inicie suas atividades. A prefeitura está avaliando alguns locais para realocar a pré-escola municipal que atualmente funciona no prédio.

Os representantes da UFLA também estiveram no terreno do antigo Sesc, no Jardim Mediterranèe, que o município doou à universidade para a implantação do campus e elogiaram bastante o espaço. 

O superintendente de planejamento, Luiz Paulo Brianezi Valim explicou que por se tratar do primeiro campus da UFLA fora de Lavras, a equipe técnica vem realizando um estudo e buscando informações junto a Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG), para saber como se dá a trocar de informações entre o campus e a matriz. 

A UNIFAL-MG já tem dois campus instalados em Varginha e Poços de Caldas e Ufla pretende se inspirar no modelo utilizado por ela para aplicar em São Sebastião do Paraíso.

Outro propósito da vinda da equipe da UFLA à cidade foi para dar início aos trâmites burocráticos na Receita Federal e Estadual, com a criação do CNPJ, e no setor de arrecadação do município. 

“Estamos muito felizes por acompanhar o desenvolvimento do processo de instalação de um campus universitário tão importante em nosso município. Hoje, os contadores e demais membros da equipe administrativa da UFLA ajustaram com a gerência de arrecadação da Prefeitura o procedimento o município deve adotar para receber de forma mais célere o ISS que irá incidir sobre as obras do campus. Além do impacto econômico no comércio, no setor de serviços e no ramo imobiliário, que acontecerá em virtude da chegada da Ufla, o nosso município também passará a arrecadar mais impostos”, salientou o prefeito Walker Américo.

O diretor de convênios da UFLA, Fábio Lasmar, juntamente com o prefeito e o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico trataram também dos últimos detalhes do convênio que será celebrado entre o município e a universidade para cessão do Anexo 1, o qual será cedido para o início das atividades já no próximo ano. 

“Foi mais um dia muito importante para o nosso campus, pois, cumprimos uma nova uma etapa de sua implantação. Recebemos a equipe administrativa, que ainda não conhecia os espaço onde hoje é da Ufla e nem a área que será cedida provisoriamente para o início das aulas. Na semana passada recebemos os engenheiros, que fizeram toda a análise de solo e esgotamento sanitário, também da parte de abastecimento de água e energia elétrica. De acordo com os levantamentos realizados, as instalações estão em perfeito estado, não precisando de novos investimentos, mas apenas adequações ao projeto do campus”, finalizou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Ulisses Araújo.

DILMA: "ESTÁ ELEIÇÃO É DECISIVA E TRAZ UMA PROMESSA DE ESPERANÇA"

Candidata ao Senado defende a necessidade de reverter as ações dos 'golpistas'

Dilma Rousseff, candidata ao Senado pelo PT de MG, defende que é preciso derrotar o 'golpe 'ocorrido em 2016 para reverter as medidas que o governo ilegítimo implementou. Ela avalia que é preciso avançar nas conquistas sociais.

Durante ato político realizado em Porteirinha, no Norte de Minas, Dilma alertou que é essencial votar nos deputados federais da coligação da qual faz parte. “Não adianta eleger presidente, senador e governador do PT e não eleger deputado federal que não tenha compromisso com Porteirinha, com Minas e com o Brasil”, discursou.

Porteirinha
Dilma se disse orgulhosa por ter autorizado a criação do campus avançado do Instituto Federal do Norte de Minas (IFNMG), em Porteirinha, como um de seus últimos atos na Presidência da República. 

MINA DE ÁGUA DO CHAFARIZ É INTERDITADA EM ALFENAS


A prefeitura de Alfenas, no Sul de Minas, confirmou a interdição da mina de água do Chafariz, que fica no bairro Jardim Elite, e o local está sendo monitorado pela Secretaria Municipal de Saúde. 

A interdição foi feita no final de agosto, durante monitoramento da equipe da Vigilância Ambiental, e amostras de água para análises foram colhidas e são necessárias para avaliação da qualidade para o consumo humano na mina d’água, que fica localizada na rua Alexandre Silveira Mariano, ao lado do nº 75.

A nascente do Chafariz está sendo monitorada e caso as análises apresentem a descontaminação, a mina será liberada novamente e a população poderá voltar a consumir a água.

Segundo o coordenador de Vigilância Ambiental Edimauro Pereira, o monitoramento da qualidade da água para consumo humano é realizado mensalmente em minas cadastradas no município de Alfenas. 

Além das minas, existe um monitoramento da água fornecida pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA). 

"Para fortalecimento do monitoramento da qualidade da água foi feita uma parceria com a Universidade Federal de Alfenas, por meio do “Projeto Águas de Minas”, onde são realizadas análises mensais prioritariamente em Minas, na zona urbana e rural, conforme a Portaria 2914, do Ministério da Saúde”, ressaltou o coordenador.